Enviar este e-mail a um parceiro

O USO DE CHAMADAS DE VÍDEO AUMENTA MAS A ETIQUETA AINDA ESTÁ EM DESENVOLVIMENTO: UM EM CADA 10 ADULTOS EMPREGADOS NÃO VÊEM UM BANHEIRO COMO INAPROPRIADO PARA CHAMADAS LIGADAS A TRABALHO

Para divulgação imediata:06 set 2012

O USO DE CHAMADAS DE VÍDEO AUMENTA MAS A ETIQUETA AINDA ESTÁ EM DESENVOLVIMENTO: UM EM CADA 10 ADULTOS EMPREGADOS NÃO VÊEM UM BANHEIRO COMO INAPROPRIADO PARA CHAMADAS LIGADAS A TRABALHO
A nova pesquisa aponta:
• Chamadas de vídeo são usadas por 40 por cento dos americanos
• Há diferenças de comportamento de gênero entre os americanos empregados; os homens usam vídeo mais que as mulheres, mas as mulheres tendem a se vestir de maneira mais profissional para chamadas de vídeo ligadas a trabalho

• 21 por cento do uso empresarial é voltado para reuniões com clientes/consumidores ou para fechar um acordo de negócios
 
Para publicação imediata: 6 de setembro de 2012
Uma nova pesquisa conduzida pela Harris Interactive® com 2.207 adultos americanos - com idades a partir de 18 anos - identifica que 40 por cento dos adultos americanos já participaram de uma chamada de vídeo ou videoconferência. À medida que o número de chamadas de vídeo cresce no local de trabalho e entre os clientes, os casos de uso de chamadas de vídeo e os padrões de etiqueta mudam rapidamente.
As respostas da pesquisa recente incluíram feedbacks surpreendentes sobre os cenários de uso de chamadas de vídeo, tais como a inclusão do banheiro como um lugar apropriado e o uso de chamadas de vídeo para contratar e demitir funcionários. A pesquisa também revelou que há uma maior probabilidade de moradores do Sul ou do Oeste dos EUA já terem usado chamadas de vídeo do que os habitantes de outras partes do país.
Outras descobertas notáveis estão descritas abaixo, e um resumo da pesquisa pode ser acessado na internet, pelo link www.radvision.com/videocallsurveyreport
A emergente “etiqueta” em chamadas de vídeo
• Alguns locais pareceriam naturalmente inadequados para chamadas de vídeo – no entanto, mais de 10 por cento dos adultos empregados nos EUA não consideram o banheiro como um lugar inadequado para uma chamada de vídeo de trabalho. A probabilidade de os americanos com mais de 35 anos julgarem o banheiro como inadequado para chamadas de vídeo é significativamente maior do que a de seus colegas mais jovens, o que pode não ser surpreendente.
• Chamadas de vídeo de trabalho feitas à beira de uma piscina não são consideradas inadequadas por 35 por cento dos adultos empregados nos EUA.
• Quando questionados sobre o vestuário para uma videoconferência de trabalho, as mulheres demonstraram maiores chances de se vestirem apropriadamente que os homens.
 
Vídeo no local de trabalho
Dentre os empregados em meio expediente/tempo integral:
• 21 por cento já usaram chamadas de vídeo para os fins de negócios de reuniões com clientes/consumidores ou ao fecharem um acordo.
• 16 por cento já usaram pessoalmente as chamadas de vídeo para uma entrevista de emprego ou uma demissão.
• Mais de 20 por cento se vestiriam mais casualmente em uma chamada de vídeo de trabalho do que em uma reunião presencial. E os americanos solteiros/nunca antes casados têm maiores chances de se vestir casualmente em videoconferências que em reuniões presenciais do que seus colegas casados.
“O aumento do uso de chamadas de vídeo não é surpreendente – muitas empresas buscam alternativas econômicas e eficientes de fazer negócios. Ao mesmo tempo, os jovens que ingressam na força de trabalho são mais familiarizados com o uso do vídeo para uma comunicação mais pessoal. Como resultado, a etiqueta das chamadas de vídeo ainda está em desenvolvimento,” afirma Bob Romano, vicepresidente global da marketing da Radvision, uma empresa Avaya. “As empresas que usam o vídeo para colaborar com clientes, parceiros e funcionários têm hoje uma significativa vantagem quando se trata de etiqueta em chamadas de vídeo no local de trabalho. Para aqueles que acabaram de adotar a tecnologia, empresas como a Avaya oferecem as ferramentas para a abordagem das questões de etiqueta em chamadas de vídeo”.
A Radvision fornece a plataforma de videoconferência Scopia, que oferece aplicações interoperáveis e acessíveis para desktop, celulares e outros. Ela permite que os usuários colaborem por vídeo, a qualquer hora, a qualquer momento, por qualquer dispositivo.
Metodologia da pesquisa
Esta pesquisa foi realizada pela internet nos EUA, pela Harris Interactive e em nome da Radvision, uma empresa Avaya, de 26 a 30 de julho de 2012, com 2.207 adultos com idades a partir de 18 anos. Esta pesquisa online não se baseia em uma amostra de probabilidade e, portanto, não se pode calcular uma estimativa de erro de amostragem teórica. Para conhecer a metodologia da pesquisa completa, incluindo as variáveis consideradas, entre em contato com Lois Paul e parceiros: radvision@lpp.com
Recursos adicionais
• Para conhecer dicas sobre videoconferências por celular e outros, visite o blog da Radvision.
• Para uma demonstração do Scopia Desktop e do Scopia Mobile da Radvision, clique aqui.
Sobre a Radvision, uma empresa Avaya
A Radvision, uma empresa Avaya, é um fornecedor líder de tecnologias de videoconferência e telepresença por IP e redes sem fio. A Radvision trabalha com seus canais e prestadores de serviços parceiros para oferecer uma comunicação visual ponta-a-ponta que ajude os negócios a colaborarem com mais eficiência. A Radvision impulsiona a evolução unificada da comunicação, com tecnologias exclusivas que aplicam o poder do vídeo, da voz e de dados em qualquer rede. Visite o link www.radvision.com, nosso blog, e siga-nos nas redes sociais do Facebook, Google+, LinkedIn, Twitter, e no YouTube.
Algumas declarações contidas nesse comunicado de imprensa são de expectativas futuras. Essas declarações podem ser identificadas pelo uso de terminologia de expectativas futuras, como “antecipar”, “acreditar”, “continuar”, “poderia”, “estimar”, “esperar”, “pretender”, “poder”, “planejar”, “potencial”, “prever”, “dever” ou “desejar” ou outra terminologia semelhante. Baseamos essas declarações de expectativas em nossas expectativas, suposições, estimativas e projeções atuais. Enquanto acreditarmos que essas expectativas, suposições, estimativas e projeções são razoáveis, tais declarações de expectativas futuras são apenas previsões e envolvem riscos e incertezas conhecidas e desconhecidas, muitas das quais estão além de nosso controle. Esses e outros fatores importantes podem fazer com que nossos resultados, desempenho ou realizações atuais sejam materialmente diferentes dos resultados futuros expressos ou implícitos nessas declarações de expectativas futuras. Para obter uma lista e uma descrição destes riscos e incertezas, consulte os arquivos da Avaya junto à SEC, disponíveis em www.sec.gov . A Avaya se exime de qualquer intenção ou obrigação de atualizar ou revisar quaisquer declarações de expectativas futuras, seja como um resultado de nova informação, eventos futuros ou de outro modo.
A Radvision e a Scopia são marcas comerciais registradas da Radvision, Ltd. Todos os nomes de produtos e de empresas aqui citados podem ser marcas comerciais de seus proprietários registrados. Todos os direitos reservados © 2012 Radvision, Ltd.

Brasil